Na decisão, o desembargador entendeu que a liminar proferida pelo juiz gera grave lesão à ordem econômica, principalmente, em um momento de crise econômica no país.

27/07/17 09:51 Foto: Nilton Fukuda

Justiça anula liminar que pedia suspensão do aumento sobre combustíveis

 

O Tribunal Regional Federal (TRF-1), sediado em Brasília, decidiu há pouco anular a decisão que suspendeu o aumento das alíquotas do Programa de Integração Social (PIS) e da Contribuição para o Financiamento da Seguridade Social (Cofins) sobre a gasolina, o diesel e o etanol, anunciado pelo governo na quinta-feira (20).

 

A decisão foi proferida pelo desembargador Hilton Queiroz, presidente do tribunal, que atendeu a um recurso da Advocacia-Geral da União (AGU) contra a suspensão do reajuste.

 

No recurso, a AGU informou à Justiça que a liminar impede que o governo federal arrecade diariamente R$ 78 milhões.

 

Na decisão, o desembargador entendeu que a liminar proferida pelo juiz gera grave lesão à ordem econômica, principalmente, em um momento de crise econômica no país.

 

“Com efeito, é intuitivo que, no momento ora vivido pelo Brasil, de exacerbado desequilíbrio orçamentário, quando o governo trabalha com o bilionário déficit, decisões judiciais, como a que ora se analisa, só servem para agravar as dificuldades da manutenção dos serviços públicos e do funcionamento do aparelho estatal, abrindo brecha para um completo descontrole do país e até mesmo seu total desgoverno”, decidiu Queiroz.

 

Mais cedo, antes da decisão que derrubou a cobrança, o juiz Renato Borelli, que concedeu a liminar, cobrou da Agência Nacional do Petroleo (ANP) o cumprimento de sua decisão e fixou multa diária de R$ 100 mil em caso de descumprimento.

Compartilhe

RELACIONADAS

Em sua 22ª edição a Fenepalmas espera receber 50 mil visitantes até o dia 26

A abertura oficial da feira acontece logo mais às 19, com a presença do governador Marcelo Miranda

Governo arrecada R$ 25 milhões com mutirão de negociação fiscal

O mutirão realizado durante o dia 24 a 30 de novembro, rendeu ao cofre público R$ 67.081.671,00. De

Confiança do empresário palmense cresce 18,2%

Em fevereiro, o índice subiu 18,2% na comparação anual, chegando a 101,3 pontos. Em relação ao mês

Deixe seu comentário