A Polícia Federal acredita que o esquema beneficiava não só os médicos, como donos de empresas e funcionários públicos da área da saúde.

07/11/17 09:55 Foto: Reprodução web

Polícia Federal deflagara operação que investiga fraudes na área da saúde

Os médicos cardiologistas, Ibsen Trindade e Henrique Furtado foram presos temporariamente nesta terça-feira, 11, em Palmas, por envolvimento em esquema de corrupção que fraudava licitações para aquisição de produtos médicos. A operação Marca-passo que prendeu os médicos foi deflagrada nesta manhã e conta com um efetivo de 330 policiais federais que cumprem 137 mandados judiciais em nove estados.


Desses mandatos 12 são de prisão temporária, 41 de condução coercitiva contra empresários e 84 mandados de busca e apreensão. Segundo a PF o esquema de corrupção fraudava licitações para aquisição de órtese, prótese e materiais especiais com um alto custo para o sistema de saúde do estado. Os materiais eram usados em pacientes que faziam procedimentos no coração, como angioplastias, cateterismos e implantes de marca-passos, no Hospital Geral de Palmas, o maior do Estado.


As investigações tiveram início em maio de 2016, quando os donos da empresa Cardiomed foram presos em flagrante fornecendo materiais vencidos para a Secretaria de Saúde do Estado. A Polícia Federal acredita que o esquema beneficiava não só os médicos, como donos de empresas e funcionários públicos da área da saúde.

Compartilhe

RELACIONADAS

Campanha do Proerd viraliza nas redes sociais

Vídeo produzido pela PM tem mais de 1 milhão de visualizações.

Municípios aprovam atualização do calendário de vacinação

Entre as mudanças estão a inclusão de meninos no calendário vacinal contra o vírus HPV e a inclusão

Marcelo Miranda assina protocolo para criação da Reserva Particular de Desenvolvimento Sustentável

O documento objetiva uma articulação, no âmbito do Congresso Nacional e do Conselho Nacional do Meio

Deixe seu comentário