Em nota, a PF informou que cerca de 70 policiais federais cumprem 17 mandados judiciais

05/12/17 09:01 Foto: Reprodução Arquivo

Polícia Federal inicia nova fase da Operação Marcapasso nesta terça, 5

 

A Polícia Federal deflagrou na manhã desta terça-feira, 5, a segunda fase da Operação Marcapasso, que investiga esquema de corrupção e fraude a licitações no Tocantins, tendo como objetivo a aquisição de equipamentos OPMEs (órtese, próteses e materiais especiais) de alto valor agregado e grande custo para o sistema de saúde. A segunda fase da Marcapasso foca em um esquema que atua na cidade de Araguaína.

 

Em nota, a PF informou que cerca de 70 policiais federais cumprem 17 mandados judiciais expedidos pela 4a Vara Criminal Federal de Palmas – TRF1, sendo 04 mandados de prisão temporária, 04 mandados de condução coercitiva, 02 medidas cautelares diversa de prisão e 7 mandados de busca e apreensão a serem cumpridos nas cidades de Palmas/TO, Araguaína/TO e Belém/PA. 

 

A investigação teve início quando os sócios da empresa Cardiomed Comércio e Representação de Produtos Médicos e Hospitalares LTDA foram presos em flagrante por terem, na qualidade de proprietários da empresa, fornecido à Secretaria de Saúde do Estado do Tocantins produtos destinados a fins terapêuticos ou medicinais cujos prazos de validade de esterilização se encontravam vencidos.

 

“No decorrer das investigações, veio à tona um vasto esquema de corrupção destinado a fraudar licitações no Estado do Tocantins mediante o direcionamento de processos licitatórios. O esquema engendrado possibilitava o fornecimento de vantagens ilícitas a empresas, médicos e empresários do ramo, bem como a funcionários públicos da área de saúde”, informa a nota da PF.

 

Os inveatigados, na medida de suas participações, poderão responder pelos crimes de corrupção passiva e ativa, fraude à licitação, associação criminosa, dentre outros.

 

O nome da operação é uma alusão a um dos itens mais simbólicos e conhecidos da área de cardiologia, o marca-passo. Esse era um dos itens que integravam alguns dos editais “fraudados” em procedimentos licitatórios na área de cardiologia na rede pública de saúde do Estado do Tocantins.

Compartilhe

RELACIONADAS

Polícia civil apreende carros roubados em Palmas e em Porto Nacional

Policiais deflagraram uma ação de combate à máfia do carro clonado, em Palmas e Porto Nacional, a qu

Moisemar Marinho reassume presidência do Sinpol-TO ​

Marinho se afastou do cargo sindical, em 1º de junho desse ano, para concorrer a uma das vagas na Câ

PM prende homem com mais de quatro quilos de maconha em Palmas

Com o autor, a PM encontrou mais de quatro quilos de maconha, duas balanças de precisão, dois aparel

Deixe seu comentário