Mesmo com greve Correios afirma que apenas oito agências estão fechadas

Greve foi deflagrada nesta quarta-feira, 11, em nível nacional, mas no Tocantins a adesão ainda é baixa

Em nota divulgada na tarde desta quarta-feira, 11, os Correios no Tocantins, afirmam que em um levantamento realizado pela manhã, 87% dos funcionários continuavam trabalhando normalmente apesar da greve nacional deflagrada pela categoria.

Conforme a diretoria da entidade apenas as cidades de rejinho de Nazaré, Campos Lindos, Centenário, Cristalândia, Novo Alegre, Pium, Recursolândia e Rio Sono estão com as agências fechadas. "No restante dos municípios, as agências estão abertas e todos os serviços estão disponíveis", afirma a nota.

Segundo a Empresa de Correios e Telégrafos as reivindicações do sindicado é inviável, uma vez que os gastos superariam o faturamento anual da empresa.

Confira a nota na íntegra:

Levantamento parcial, realizado na manhã de hoje, demonstra que 87% do efetivo de empregados está presente e trabalhando no Tocantins. Oito agências de Correios estão fechadas – localizadas nas seguintes cidades: Brejinho de Nazaré, Campos Lindos, Centenário, Cristalândia, Novo Alegre, Pium, Recursolândia e Rio Sono. No restante dos municípios, as agências estão abertas e todos os serviços estão disponíveis.

Os Correios já colocaram em prática seu Plano de Continuidade de Negócios para minimizar os impactos à população, que inclui ações como deslocamento de empregados entre as unidades e apoio de pessoal administrativo. O horário de atendimento ao público do Centro de Entrega de Encomendas, localizado no edifício-sede dos Correios em Palmas-TO, foi ampliado. A partir de hoje, clientes poderão retirar suas encomendas das 9h30 às 12h e das 13h30 às 16h30. Caso haja necessidade, a empresa também pode promover mutirões para entrega nos fins de semana.

Negociações

Os Correios participaram de dez encontros na mesa de negociação com os representantes dos trabalhadores, quando foi apresentada a real situação econômica da estatal e propostas para o Acordo dentro das condições possíveis, considerando o prejuízo acumulado na ordem de R$ 3 bilhões. Mas as federações, no entanto, expuseram propostas que superam até mesmo o faturamento anual da empresa, algo insustentável para o projeto de reequilíbrio financeiro em curso pela empresa.

No momento, o principal compromisso da direção dos Correios é conferir à sociedade uma empresa sustentável. Por isso, a estatal conta com os empregados no trabalho de recuperação financeira da empresa e no atendimento à população.

FAÇA SEU COMENTÁRIO