Notificações de dengue têm decrescido no Tocantins

Os esforços empregados pelo Governo do Estado e parceiros na articulação de ações intersetoriais voltadas à prevenção, destruição de criadouros do Aedes aegypti e sensibilização da comunidade já trazem resultados. Desde a sétima semana epidemiológica deste ano, de 14 a 20 de fevereiro, os registros de notificações para casos suspeitos de dengue no Tocantins vêm caindo progressivamente a cada nova semana.


Segundo a gerente estadual de Dengue, Febre Amarela e Chikungunya, Christiane Bueno, observando a evolução semanal de notificações em 2016, há muito o que se comemorar. “O aumento no número total de notificações, como o que houve esse ano, reflete o trabalho de supervisão e discussão de protocolos com médicos e enfermeiros. No entanto, nós vimos em 2015 um crescimento até a 7ª semana epidemiológica, que é uma tendência esperada desde a semana 50 do ano anterior até meados de abril e maio. Mas em 2016, a partir da semana sete, isso não vem ocorrendo”, explica a gerente, acrescentando que mais notificações, como as que ocorreram no início deste ano, significam que os serviços de vigilância estão mais atentos.


Em 2016, de 1º de janeiro a 25 de maio, foram 15.831 notificações registradas; enquanto, em todo ano de 2015, foram contabilizados 18.726 casos suspeitos de dengue. Na primeira semana epidemiológica de 2016, que compreende o período de 3 a 9 de janeiro, foram registradas 935 notificações. Nas semanas seguintes, os registros seguiram aumentando até a sétima semana (14 a 20 de fevereiro), quando foram registradas 1.503 notificações em todo o Estado, maior número de notificações da série semanal. Da oitava semana epidemiológica em diante, houve queda vertiginosa no número de notificações, chegando a 194 casos na 18ª semana epidemiológica. Comparando-a o período a mesma semana do ano anterior, quando houve 719 notificações, verifica-se a queda de 73% no número de notificações do mesmo período.

Segundo a gerente Christiane Bueno, a queda progressiva de registros semanal é um indicativo de que, conforme esperado, as ações de mobilização social articuladas com o Exército, Defesa Civil e os próprios municípios têm se refletido na destruição de criadouros, na adequada acomodação de objetos - que poderiam se tornar possíveis criadouros – e, consequentemente, na redução da população de mosquitos.

O secretário de estado de Saúde, Marcos Musafir, também comemora os resultados e destaca que a participação da população tem sido de suma importância. "Vamos continuar atuando juntos, poder público, parceiros e sociedade em geral para que esses números diminuam ainda mais. Vamos vencer essa batalha com o mosquito", afirmou. 

FAÇA SEU COMENTÁRIO