Tocantins mantém saldo positivo de empregos no mês de junho

O setor da construção civil foi o que mais contratou em junho segundo os dados divulgado pelo Caged

Junho é o quarto mês deste ano que o Tocantins registra saldo positivo na geração de novos postos de trabalho com carteira assinada. De acordo com os dados divulgados pelo Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (Caged), no último dia 17, houve um total de 5.695 admissões contra 5.215 desligamentos, gerando um saldo de 480 vagas, ou seja, uma variação positiva de 0,37%.


Foram analisados pelo Caged os municípios do Estado com população acima de 30 mil habitantes, sendo eles: Araguaína, Araguatins, Colinas do Tocantins, Gurupi, Palmas, Paraíso do Tocantins e Porto Nacional. Destes, apenas Gurupi e Paraíso registraram saldo negativo na geração de novos postos de trabalho.

Segundo o Caged, em Araguaína o saldo positivo foi de 62 novas vagas; em Araguatins, 8; Colinas do Tocantins, 52; Palmas, 363; e Porto Nacional, 55. Já Gurupi registrou déficit de 24 postos e Paraíso de 43. A construção civil foi o setor que mais contratou já o setor de comércio foi que o mais demitiu.

Balança Comercial
Na esteira dos números positivos, a Federação das Indústrias do Estado do Tocantins (Fieto) divulgou, no último dia 13 de julho, a Balança Comercial referente ao primeiro semestre de 2017. O estudo mostra que o número de exportações aumentou 32,6% e as importações aumentaram 147,5% no Tocantins em comparação ao primeiro semestre de 2016.

A soja é o produto mais exportado pelo Tocantins seguido por carnes desossadas de bovinos. Porto Nacional, a 60km de Palmas aparece em primeiro lugar no ranking das cidades que mais movimentam o comércio exterior tocantinense.

Palmas ocupa segundo lugar nas exportações do primeiro semestre, subindo 6 posições se comparado ao mesmo período de 2016, devido ao aumento nas exportações de soja, bijuterias e outros artefatos confeccionados, incluídos moldes para vestuário.

Parceiro
O principal parceiro comercial do Tocantins nas exportações é a China que demanda, principalmente, soja, couros e peles de bovinos.

FAÇA SEU COMENTÁRIO