Kátia Abreu é empossada presidente da Faet para o mandato 2018/2021

A posse aconteceu na manhã desta segunda-feira, 02, na Sede da Faet em Palmas.

 

A senadora Kátia Abreu foi empossada mais uma vez , na manhã desta segunda-feira, 02, como presidente da Federação da Agricultura e Pecuária do Tocantins (Faet). Ao lado de Paulo Carneiro, como 1º vice-presidente e Saddim Bucar, como 2º vice, a senadora fica a frente da instituição por mais quatro anos, até 2021.


Kátia Abreu foi reeleita presidente da Faet com 72% dos votos em outubro de 2017. Dos 40 Sindicatos Rurais que agora representa, 29 votaram pela continuidade de Kátia na presidência. Durante seu discurso de posse a presidente abordou as principais atividades da instituição que continuará a desenvolver, como a capacitação do homem do campo, e relembrou ainda uma demanda do ano passado que diz respeito a questão tributária no Estado do Tocantins.


No último mês de agosto a instituição havia entrado com um mandato de segurança contra a cobrança do ICMS sobre bovinos e grãos que no entendimento da Federação estava muita acima do cobrado em outros estados, o que por sua vez, estava fazendo com que a venda desses produtos diminuíssem gerando perda para o produtor do Tocantins.

 

Agroindustrialização
Outra pauta defendida por Kátia Abreu foi a industrialização da agricultura no Estado. Segundo Kátia a governo do Tocantins teria que viabilizar a vinda de indústrias do mercado agro para o Estado, mas o que está acontecendo é um movimento inverso devido a política fiscal e tributária que ainda é mantida. "Hoje nós estamos com um código tributário que está afastando os comerciantes e os nossos empresários. O comerciante ele tem que pagar o imposto adiantado antes de vender o seu produto, e isso tem tirado a intenção do empresário para vir pro Tocantins" comentou. Segundo a Senadora, o código tributário deve passar por uma atualização e disse contar com a Assembleia Legislativa do Estado para esse processo.


Kátia Abreu falou ainda na criação de centros tecnológicos em parceiras com as universidades para que se consiga inovar no campo, falou sobre a demora em licenças ambientais e pediu para que além da sua candidatura como governadora do Estado, que se debata e cobre dos candidatos ao palácio as ações deles no que diz respeito a industrialização do campo. "Não existe ainda dentro do Estado essa sinergia para que a pesquisa, a ciência e a tecnologia sejam priorizadas no nosso Estado (...) Eu não sei se é má gestão, corrupção ao má vontade, mas não existe licenciamento ambiental nesse estado, um cidadão não pode demorar de oito meses a um ano para tirar uma licença, nós precisamos melhorar essa governança" afirmou.

 

Diretoria

Junto com Kátia Abreu, Paulo Carneiro e Saddim Bucar, a diretoria ainda é composta por Eurípedes Martins Costa como 1º Secretário; João Batista de Oliveira Neto como 2º Secretário; Carlos Ribeiro Soares como 1º Tesoureiro e Ricardo Rosa da Silva como 2º Tesoureiro.

 

Presenças
Estiveram presentes na cerimônia de posse o Superintendente do Banco do Brasil no Tocantins, Marco Antônio Kruger; O Deputado Eduardo Siqueira Campos e Iratã Abreu, filho de Kátia. Além dos presidentes dos Sindicatos Rurais do Estado e convidados.

FAÇA SEU COMENTÁRIO