Secretário de Gurupi, Tom Lyra afirma que o pior da economia já passou

Com alto nível de produtividade e serviço público rápido e eficiente em benefício dos meios de produção

Empresário de sucesso no Tocantins, Tom Lyra foi vice-governador durante os últimos nove meses de 2014, quando chegou a assumir por diversas vezes o Governo do Estado. Conhecido pelo arrojo ele agora encara o desafio de ser secretário de Produção, Meio Ambiente e Cooperativismo em Gurupi, a terceira maior cidade do Estado e que tem a sua economia baseada no setor de comércio, serviços e agronegócio. Nesta entrevista Lyra fala dos novos desafios a frente da pasta e diz que ainda é cedo para falar em candidatura este ano.

  

Desde que o senhor assumiu o cargo de secretário de Produção, Meio Ambiente e cooperativismo, em que áreas já foi possível avançar?

 

Considero que estamos fazendo  uma boa gestão e estamos avançando em várias frentes importantes aqui no município de Gurupi. Nossa secretaria hoje esta Organizada e enxuta com alto nível de produtividade e os  os serviços públicos que dependem dela sendo atendidos de forma rápida e eficiente. Hoje, Gurupi é uma cidade reconhecida pela quantidade e qualidade com que presta os serviços públicos à sua população e eu incluo ai minha secretaria que esta no mesmo ritmo das demais do município como a saúde, infraestrutura, administração e saúde. Hoje aqui na nossa secretaria  recebemos prefeitos e munícipes das cidades vizinhas que procuram os serviços que aqui são oferecidos como o SIM municipal, a feira da agricultura familiar, a lavoura mecanizada, a sala do empreendedor. Em áreas que antes não eram trabalhadas a exemplo do licenciamento ambiental, avançamos muito, hoje, por exemplo, somos-nos mesmos aqui no município  que emitimos as licenças ambientais, uma das grandes marcas da gestão do prefeito Laurez  é a sala do empreendedor, fora também que muitas empresas estão chegando a Gurupi para empreender no agro negócio. Nas ultimas avaliações que a revista Istoé  fez das administrações das cidades Brasileiras, das 10 maiores cidades, nós ficamos entre elas, ou seja, Gurupi esta no rumo certo.

 

 Que medidas o senhor vem tomando para aumentar a industrialização de Gurupi?

  

O ritmo de crescimento da cidade de Gurupi é muito intenso. Trabalho com uma equipe que se dedica integralmente à administração dessa vibrante cidade para a consolidação da indústria do agronegócio atraiu grandes empresas nos últimos meses, a exemplo da Focoagro, fabrica de fertilizantes, a XGMA tratores chinesa dentre muitas outras. Sempre falo que não nos foi dada a chance de “piscar”, quanto mais “dormir” nestes últimos quatro meses. Conseguimos, assim, acompanhar o ritmo alucinante que a iniciativa privada impunha à cidade de Gurupi. Posso dizer que tudo esta mudando e para melhor. A qualidade de vida em nossa cidade, o comércio, o emprego, a renda, os microempreendedores individuais, agricultura familiar, as grandes empresas, as costureiras, enfim, tudo  cheira progresso e desenvolvimento, vivemos uma boa fase e somos uma ilha  de prosperidade dentro do Tocantins com aumento significativo no bolo do ICMS do estado.

 

A sua secretaria tem atuado no sentido de orientar essas pessoas, empresas e entidades para a contratação de crédito?

 

Sim, essa é uma determinação pessoal do prefeito Laurez Moreira, como você sabe, a agricultura familiar surge como conceito e tem sua legitimação perante o Estado em meados dos anos de 1990 com a criação do Programa Nacional de Fortalecimento da Agricultura Familiar - Pronaf. A partir de então, a agricultura familiar passa a ser agenda de diversas políticas públicas de desenvolvimento rural mais também pouco explorada pelo produtor. Dentre elas, posso citar o Programa Nacional de Alimentação Escolar (PNAE). A Lei nº 11.947/09 determina que no mínimo 30% (trinta por cento) do repasse do Fundo Nacional de Desenvolvimento da Educação (FNDE) deve ser utilizado na aquisição de gêneros alimentícios diretamente da agricultura familiar e suas organizações, priorizando as comunidades tradicionais e os assentamentos da reforma agrária.

 

Para acessar esse crédito e essa  política, nós estamos capacitando e habilitando os agricultores e agricultoras familiares para estarem organizados em associações ou cooperativas, nas quais no mínimo 70% de seus sócios devem ter a Declaração de Aptidão ao Pronaf (DAP), e pelo menos 55% do volume de sua produção beneficiada, processada ou comercializada seja oriunda de seus sócios com DAP. Nestes primeiros meses de minha gestão fizemos implementação do PNAE, após a Lei nº 11.947/09, observei que as associações e cooperativas da agricultura familiar não estavam conseguindo acessar o programa em de crédito para aumento da produção no  âmbito municipal e regional. No entanto, com a determinação e o apoio do prefeito Laurez Moreira foi possível avançar no debate sobre a busca deste recurso no Pronaf e hoje somos um dos  os maiores municípios de Tocantins a incentivar a busca desse recurso tão importante para o desenvolvimento da nossa economia do nosso município.

 

O senhor diria que o pior momento da economia já passou?

 

Sim, está passando sim, em relação à economia nos aqui na Secretaria de Desenvolvimento Econômico de Gurupi estamos dando uma resposta com muita dedicação e trabalho, fazendo um trabalho atuante e consultivo, direcionando uma política efetiva para que possamos ter um crescimento econômico cada vez maior em nossa cidade.

 

E essa a Secretaria que tem sido reformulada em todos os processos com o foco em gente e no crescimento econômico das pessoas, no governo do prefeito Laurez Moreira, temos incrementado o polo de costura de Gurupi, o incentivo a instalação de novas indústrias no parque industrial, incentivo ao pequeno produtor na diversificação de sua produção com a garantia de compra direta para a merenda escolar, temos debatido com a classe empresarial sobre incentivos fiscais municipais como alíquota diferenciada no ISSQN.  Desses debates com a classe empresarial estão surgindo ideias para que nós possamos ter uma política efetiva de crescimento econômico. Em relação ao turismo de negócio, nós estamos criando um modelo de possibilidade aonde teríamos Gurupi como a base para visitas a ilha do Bananal, Praia do peixe, fazendas de produção de soja e gado dentre outras atividades fortalecendo assim a rede hoteleira e o comércio local.

 

Gurupi tem um potencial receptivo turístico muito forte. É uma cidade a margem da BR 153 muito bonita, uma cidade com uma vocação para economia inovadora, uma cidade que sabe receber bem os seus turistas faremos esse ano de 2018 o melhor carnaval do estado, pessoas que nos visitam, apesar de Gurupi não ter lago tem a proximidade com quase todos os outros lagos do estado e também com polos importantes da região e vejo ai à oportunidade de tirar o proveito. Vamos em busca desses estrangeiros que vão visitar o jalapão incentivando a  passarem em suas trilhas por Gurupi e a partir daqui conhecer essas cidades que tem a cachoeiras e lago e também as fazendas de soja. Precisamos fazer Gurupi como roteiro de apoio turístico Brasileiro e do Tocantins. Portanto, o momento é agora de planejar o futuro.

 

O senhor teme que o próximo presidente não tire as reformas do papel e o país continue estagnado?

 

Tenho certeza que teremos uma leva de novos Deputados Federais que chegarão a Brasília com muito preparo para avançar nas reformas necessárias.

 

O Brasil já passou dessa fase do amadorismo, as reformas serão feitas independentes de quem ganhe as eleições, isso porque eu entendo que o cidadão já percebeu que sem elas o país não continuará  avançando.

 

O senhor vê Refis do Governo Estadual como positivo e com condições de pagamento viáveis para o empresariado?

 

Muito positivo! A concessão de anistias fiscais é comum no mundo. Países emergentes como Colômbia, Índia e Turquia e nações avançadas como Itália, Irlanda e Espanha recorreram ao expediente no passado recente. Além do evidente benefício de elevar a receita tributária, os perdões têm algumas motivações econômicas. Uma delas é inspirada no ensinamento de Confúcio segundo o qual é importante não ter vergonha dos erros para eles não se transformarem em crimes.

 

Contribuintes que não cumpriram obrigações por qualquer motivo (legislação pouco clara, instabilidade econômica, governo rapace, etc.) podem querer regularizar a situação. Anistias abrem um caminho ao relaxar punições que são tipicamente pesadas para evasão de tributos.

 

Sendo assim, a arte é encontrar um equilíbrio entre os ganhos auferidos pela anistia e a possibilidade de perder receitas no longo prazo pela desmoralização do sistema  experiência internacional mostra que os aspectos relativos ao timing são, de fato, cruciais na determinação do desempenho das anistias tributárias. O tamanho do Estado passou muito do ponto e o país não deixará de ser medíocre se não fizer um ajuste que abra espaço para reformar o sistema tributário, tornando-o mais simples, eficiente e justo para com os empresários. É fácil entender a angústia do empresariado quanto ao pagamento de impostos em meio a uma das recessões mais severas da história – que, diga-se, foi criada pela irresponsabilidade fiscal do governo, inclusive pelo tamanho do estado e pela corrupção.

 

O senhor pretende se licenciar do cargo de secretário para disputar uma vaga na Assembleia Legislativa ou na Câmara dos Deputados?

 

Embora eu diga sempre que nunca me acovardarei dos embates da vida  também acho que é muito cedo para se falar em candidatura. “É preciso focar no trabalho”. Estamos no rumo certo.

 

Como o senhor acha que será o desenrolar das próximas eleições?

 

Acho que o voto será mais desanimado, mais descrente nessas eleições. As pessoas sabem que precisam da política, que vai haver um governador, senadores, deputados, elas estão desanimadas em função de todos os escândalos. Há uma certa descrença com relação à atividade política, que sempre houve, mas está mais acentuada. Então que será uma eleição marcante nesse aspecto. Eu acho que existe um peso relevante da crise econômica, porque quando você tem uma piora no bem-estar da população como nós tivemos nos últimos dois anos, somado a escândalos de corrupção, o cenário se complica. Tem impacto relevante na credibilidade do sistema mais os eleitores aprenderam muito também, penso que estão mais conscientes e votarão com mais responsabilidade, sobre tudo optarão por candidatos que tenham propostas reais de trabalho.

 

Que mensagem o senhor deixa para a população de Gurupi?

 

Gurupi é cidade de povo ordeiro e trabalhador que luta com expectativa de atingir grandes vitórias. Compete a nós, continuar lutando para alcançar a transformação do nosso Município e os objetivos do nosso povo, assegurando a toda a comunidade, os direitos de desfrutar: saúde, habitação, trabalho, lazer, cultura, esporte, emprego e uma melhor qualidade de vida.

 

Penso que cada munícipe seja um ponto de apoio nesta construção diária, com valores sólidos que ajudem a preparar as crianças e os jovens para esse processo contínuo de transformação. Semear ações e colher conquistas, buscando no presente o futuro! Quero  que as conquistas da comunidade sejam sempre crescentes, demonstrando que somos nós que fazemos o amanhã e que nossa perseverança é a luz que ilumina o caminho do rumo de um Gurupi cada vez melhor.

 

Portanto, minha mensagem é que cada um de nós cada homem, cada mulher, cada criança Gurupiense. É o momento de comemorar os avanços de nossa cidade propagar Gurupi e os que aqui vivem como a terra das  pessoas de bem, honradas e guerreiras. Parabéns a todos que diariamente cumprem sua missão, contribuindo assim com o desenvolvimento do Município; buscando sempre novos projetos e aceitando o desafio de fazer mais e melhor; não perdendo de vista os anseios da comunidade que é ser uma das melhores cidades para se viver do Brasil.

 

Qual sua análise sobre o atual momento da economia?

 

A economia brasileira saiu da recessão e deve se estabilizar nos próximos anos, com um crescimento em torno de 3% ao ano. Há, contudo, um risco para que esse cenário se concretize: a política. Apesar de a delação da JBS ter enfraquecido o governo do presidente Michel Temer, o cenário mais provável, segundo em minha opinião , é de que ele conclua o mandato. Portanto, o maior risco político é saber para quem ele irá passar a faixa presidencial. Ainda não se achou esse ator principal.

 

Nós aqui na Secretaria de Desenvolvimento Econômico de Gurupi estamos dando uma resposta com muita dedicação e trabalho, fazendo um trabalho atuante e consultivo, direcionando uma política efetiva para que possamos ter uns crescimentos econômicos cada vez maiores em nossa cidade. E essa a Secretaria que tem sido reformulada em todos os processos com o foco em gente e no crescimento econômico das pessoas, no governo do prefeito Laurez Moreira, temos incrementado o polo de costura de Gurupi, o incentivo a instalação de novas indústrias no parque industrial, incentivo ao pequeno produtor na diversificação de sua produção com a garantia de compra direta para a merenda escolar, temos debatido com a classe empresarial sobre incentivos fiscais municipais como alíquota diferenciada no ISSQN.

 

Desses debates com a classe empresarial estão surgindo ideias para que nós possamos ter uma política efetiva de crescimento econômico. Em relação ao turismo de negócio, nós estamos criando um modelo de possibilidade aonde teríamos Gurupi como a base para visitas a ilha do Bananal, Praia do peixe, fazendas de produção de soja e gado dentre outras atividades fortalecendo assim a rede hoteleira e o comercio local. Gurupi tem um potencial receptivo turístico muito forte.

 

É uma cidade a margem da BR 153 muito bonita, uma cidade com uma vocação para economia inovadora, uma cidade que sabe receber bem os seus turistas no melhor carnaval do estado, pessoas que nos visitam, apesar de Gurupi não ter lago tem a proximidade com quase todos os outros lagos do estado e também com polos importantes da região e vejo ai à oportunidade de tirar o proveito. Vamos busca desses estrangeiros que vão visitar o jalapão para passarem em suas trilhas por Gurupi e a partir daqui conhecer essas cidades que tem a cachoeiras e lago e também as fazendas de soja. Precisamos fazer Gurupi como roteiro de apoio turístico Brasileiro e do Tocantins. Portanto, o momento é agora de planejar o futuro.

 

 

 

 

FAÇA SEU COMENTÁRIO