Usuárias do aplicativo Uber em Palmas passam por vários tipos de problemas

Usuárias relataram problemas como troca de veículos e motoristas, além de um caso de assédio sexual
Jesica Maldonado - Da Redação
 
A reportagem da Folha Capital entrevistou 23 mulheres que fazem uso do aplicativo Uber em Palmas, uma plataforma com cerca de 500 motoristas cadastrados na capital que disponibilizam desde março de 2017 seu carro e seu tempo para levar passageiros de um lado para o outro por cerca da metade do preço de um táxi.
Nas entrevistas 18 usuárias, 79% do total, relataram apenas benefícios como bom atendimento, agilidade e preços acessíveis. No entanto cinco, 21% das entrevistadas relataram que passaram por problemas ao menos uma vez desde que começaram a usar o aplicativo, como assédio sexual, veículo diferente e dificuldades de pagamento.
 
A usuária Mariana Emilene afirma que sofreu assédio por parte de um motorista do aplicativo. ‘’Após solicitar o serviço eu entrei no Uber e ele [o motorista] me chamou de ‘princesa’ e perguntou se eu tinha namorado. Durante o percurso ele pegou uma rota mais longa, que eu nunca tinha passado. Ficou perguntando se eu ia a um show, insistindo que compraria o ingresso para eu ir junto com ele. Na porta da minha casa ele travou as portas do o carro pra eu não descer e continuou insistindo. Foi quando eu ameacei a ligar para polícia e ele destravou as portas. Aparentemente ele não é mais motorista do Uber.’’ 
 
Para a Mayara de Medeiros o uso do Uber é necessário e conta que sempre foi atendida, no entanto, por duas vezes já teve algum tipo de problema. ‘Uma vez eu chamei um veículo e veio outro, aí ele disse que tinha trocado de carro e não tinha avisado a empresa. Teve outro que estava na praia do Prata e esperei por uma hora até conseguir alguém que fosse me buscar, já que alguns cancelaram a viagem’, conta. 
 
Segundo a Uber quando o cliente pede o veículo é informado o nome do motorista, número da placa e modelo do carro para a segurança do passageiro. A empresa orienta que em caso de dúvida ou divergência entre o que consta no aplicativo e o veículo ou o motorista o usuário não deve embarcar no veículo.
 
Outra usuária, Marcela Ferro, conta que usa o aplicativo frequentemente e relata um pequeno problema em relação ao veículo informado. ‘’Eu pedi um carro e o aplicativo mostrou que vinha um Renault Logan. Então chegou um outro motorista em um Chevrolet Corsa e disse ‘vamos Marcela’’. Fiquei sem entender, pois meu aplicativo dizia que o veículo original estava a 5 minutos de distância. Eu disse que não era eu e sai desconfiada. No final o Logan chegou e eu fui nele, mas quando a viagem encerrou o aplicativo pediu pra eu avaliar o motorista que havia chegado primeiro com o Corsa dizendo ser meu Uber. Não entendi nada. ’’
 
A passageira Bruna Lima relata suas experiências ao usar o aplicativo. “Sempre que uso o Uber e os motoristas são bem tranquilos e educados. Sempre foram respeitosos e conversam durante a viagem. O único ponto que tenho a reclamar é que meu aplicativo não me possibilita pagar em dinheiro, somente no cartão de crédito, isso me fez parar de usar o aplicativo, pois eu não uso cartão de crédito”, afirma a usuária.
Juliana Batista, também usuária do aplicativo, aponta a necessidade que o serviço funcione no horário noturno, pois a mesma tem dificuldade em achar um veículo disponível neste horário. ‘ Tenho andado bastante e achado muito bom. O problema pra mim é a pouca disponibilidade principalmente em horários noturnos. Preciso voltar do trabalho após meia noite e não tem motorista disponível. O preço também é salgado se estiver chovendo ou se for tarde da noite’, reclama.’
 
Por fora
 
A usuária Kamylla Rodrigues que afirmou também ter chamado um veículo e aparecido outro, com um motorista diferente do informado pelo aplicativo. Ela especula que exista algum esquema dos próprios motoristas por trás do problema. ‘’Eu chamei o Uber e veio outra pessoa em outro carro, fiquei com receio e informei a dois amigos o que estava acontecendo. Eu pedi o Uber na minha casa e fui até o Capim Dourado. Pela conversa com o motorista percebi o esquema de cancelamento de viagens no meio do caminho e recebem o dinheiro por fora. Reportei tudo pro Uber e eles me devolveram o dinheiro da viagem. ’’
 
A redação entrou em contato com a empresa Uber para que ela se posicionasse sobre os problemas relatados pelas usuárias e que providências seriam tomadas. Em resposta a assessoria da empresa afirmou que a situação pode ser informada no próprio aplicativo, clicando no menu superior esquerdo e ir até o botão “Ajuda”. O usuário deve clicar no botão “relatar um problema com esta viagem” e procurar o assunto que melhor descreva seu caso. Se o usuário estiver sem o celular e precisar relatar um problema, o mesmo pode acessar o site uber.com/ajuda, entrar com o login e senha. Se o imprevisto for de uma viagem anterior é só abrir o menu, clicar em “Suas Viagens” e buscar o item que o ajude. De acordo com a Uber nenhuma viagem é anônima e a empresa se coloca à disposição para colaborar com autoridades nas investigações necessárias. 
 
Repúdio
 
A Uber informou que repudia qualquer tipo de violência contra mulheres. O comportamento não é tolerado, e se confirmado, leva ao imediato desligamento do motorista da plataforma. Você pode saber mais sobre o Guia de Conduta para motoristas parceiros e usuários da Uber no Link
 
A nossa reportagem também entrou em contato com a Delegacia da Mulher de Taquaralto e do Plano Diretor e foi informada que não havia, até aquele o momento, nenhuma denúncia de assédio ou violência contra as mulheres, envolvendo serviços de transporte particular em Palmas. A orientação das delegacias é que as vítimas registrem boletins de ocorrência para que possam ser adotadas medidas para punir os responsáveis e prevenir novos casos.
 
Delegacia da Mulher
 
Centro: 3218-6831, Taquaralto: 3218-2404.

FAÇA SEU COMENTÁRIO