Centro de Monitoramento Ambiental e Manejo do Fogo completa três anos de atuação no Tocantins

Estrutura do Cemaf instalada dentro do câmpus da UFT Gurupi

O Centro de Monitoramento Ambiental e Manejo do Fogo (CEMAF) atua desde 2016 desenvolvendo trabalhos técnicos científicos para suprir demandas na área de monitoramento ambiental. Uma parceria firmada entre a Secretaria do Meio Ambiente e Recursos Hídricos (Semarh) e a Universidade Federal do Tocantins (UFT), campus de Gurupi possibilitou a implantação do CEMAF há três anos.

Ocupando uma área de pouco mais de 500 m² o centro conta com seis docentes, dois técnicos e vinte cinco alunos de graduação e pós-graduação que trabalham na instituição atendendo o Tocantins no desenvolvimento e elaboração de uma base de dados mais detalhada sobre incêndios florestais e queimadas.

As informações fornecidas pelo Centro de Monitoramento possibilitaram a delimitação efetiva das áreas onde ocorrem incêndios florestais e queimadas do estado do Tocantins. Desde a sua implantação, o CEMAF já desenvolveu diversos planos de prevenção e combate a incêndios orientando os municípios, além de realizar o mapeamento das áreas degradadas pelas queimadas. Isso gera um avanço para o Estado, que conta agora com um cálculo mais realista das situações de cada município.

Inicialmente, o centro trabalhava com o processo de incêndios e agora trabalha mais intensamente o processo de mudança do uso do solo, ou seja, o acompanhamento da dinâmica do uso do solo, monitorando o desmatamento e o crescimento da vegetação, além da identificação de áreas abandonadas.

Nesses três anos, foram agregadas diversas informações que viabilizaram a formação de diferentes bases de dados. De acordo com o coordenador do CEMAF, o professor da UFT Marcos Giongo, “foi possível cruzar os dados históricos dos incêndios com as informações do Cadastro Ambiental Rural [CAR], identificar se o fogo está mais vinculado a grandes latifúndios ou pequenas propriedades e assim estabelecer inúmeras outras relações, por exemplo, a quantidade de desmatamento, compreendendo melhor a dinâmica aqui no Tocantins”.

A composição do novo cálculo do índice do ICMS Ecológico, no que diz respeito às queimadas e incêndios florestais, contou com a participação do CEMAF. O professor Marcos relata que “o centro contribuiu com o grupo técnico de trabalho que auxiliou nas simulações relacionadas a esse novo índice, que deve entrar em vigor nos próximos anos”.

Recentemente o CEMAF e o Instituto Natureza do Tocantins (Naturatins) firmaram parceria para a realização de ações no Parque Estadual do Cantão. O objetivo das atividades foi acompanhar o Manejo Integrado do Fogo (MIF) na região, observando os efeitos do fogo na vegetação e no solo. O Centro faz um acompanhamento indireto sobre o MIF, realizando a medição das áreas queimadas e incendiadas em diferentes épocas do ano. Como as ações são realizadas em diversos pontos, o CEMAF consegue fazer o acompanhamento de alguns trabalhos pontuais de pesquisa desenvolvidos pelos discentes que têm vínculo com a instituição.

O Tocantins é o único estado da federação que possui uma base de dados detalhada sobre os incêndios florestais que ocorrem na região. Os benefícios indiretos são as informações geradas e os conhecimentos que são utilizados para o processo na gestão do poder público, tanto na formulação de políticas públicas quanto nas ações técnicas das instituições estaduais municipais e federais. “Quando nós temos um conhecimento detalhado da realidade em um determinado evento como fogo a atuação é mais efetiva quando se conhece a realidade do problema”, afirma o coordenador do CEMAF.

Outras atividades

Há pouco mais de seis meses o CEMAF implantou uma sala verde em sua estrutura que conta com toda infraestrutura necessária para atender a demanda. O espaço é inspirado no projeto de mesmo nome desenvolvido pelo Ministério do Meio Ambiente voltado para educação ambiental.

A sala do CEMAF está à disposição para a realização de aulas, cursos e oficinas em espaços abertos e mais envolvidos com a vegetação típica do Cerrado. A sala recebe diversos alunos da UFT e demais instituições de ensino de Gurupi e região. Os interessados em agendar um horário para aula devem entrar em contato com o CEMAF com antecedência através do site da instituição.

O CEMAF desenvolve também um trabalho de reflorestamento e plantios comerciais. As equipes da instituição já percorreram mais de 28 mil km no estado visitando várias regiões, analisando a questão da produtividade e observando os índices de ataques de pragas, realizando um mapeamento detalhado nos locais visitados.

Além disso, centro recebe diariamente visitas de estudantes do ensino fundamental, médio, superior e servidores do poder público municipal, estadual e federal. Neste ano foram registradas até o momento mais de 700 visitantes que tiveram a oportunidade de conhecer um pouco mais sobre os trabalhos realizados.

FAÇA SEU COMENTÁRIO